Curso “Ontologia da vida e ética ecológica: uma introdução ao pensamento de Hans Jonas”

Ontologia da vida e ética ecológica: uma introdução ao pensamento de Hans Jonas

Plataforma e Data

Plataforma
https://conferenciaweb.rnp.br

Data de início:
06/08/2020 ás 14:00h

Data de Término:
24/09/2020
________________________________

Nome do proponente / E-mail
Walter Valdevino Oliveira Silva (Docentes) / waltervaldevino@gmail.com
Equipe
Organizador – Michelle Bobsin Duarte (Docentes) / michellebobsin@gmail.com

Público-alvo
Geral

Tempo da atividade
24 Hora(s)

Vagas
80 pessoas

Descrição da atividade

O curso tem o intuito de apresentar uma introdução ao pensamento de
Hans Jonas (1903-1993), filósofo judeu alemão que lutou nos campos de
batalha da segunda guerra mundial, onde começou a esboçar as primeiras
reflexões sobre a sua teoria do fenômeno da vida, a qual serviu como
base ontológica para a elaboração da Ética do Futuro, uma ética
ecológica que visa a manutenção das condições de existência da
humanidade futura. O curso será ministrado em formato virtual com um
encontro semanal, sempre às quintas-feiras de 14h às 17h, no portal de
webconferência da RNP https://conferenciaweb.rnp.br/. Estão previstos
oito encontros conduzidos pela Profa. Dra. Michelle Bobsin Duarte,
pós-doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Filosofia da UFRRJ, com
a participação de professores convidados, com início no dia 06 de
agosto e término no dia 24 de setembro de 2020. A carga horária total
será de 24h.

Resumo

Hans Jonas desenvolve a sua teoria do fenômeno da vida, segundo a qual
todas as formas de vida possuem em si um princípio de liberdade, que
em seu nível primário estaria manifesto no metabolismo dos seres vivos
simples e ascenderia ao seu grau máximo no ser humano. Estas reflexões
serviram como base ontológica para a elaboração do imperativo ético do
autor: “Aja de modo que os efeitos da tua ação sejam compatíveis com a
permanência de uma autêntica vida humana na Terra” (JONAS, 2006, p.
47). Tal imperativo demonstra a preocupação do filósofo com a
modificação da natureza do agir humano, pois, em nenhum momento da
história a humanidade pensou que sua permanência na Terra poderia ter
fim pelas suas próprias mãos. Hoje, este tema se tornou uma
possibilidade real do futuro humano devido à conjugação do
desenvolvimento de tecnologia de destruição em massa, de técnicas de
prolongamento e melhoramento genético da vida humana e aceleração da
degradação ambiental do planeta, além da concretização de uma pandemia
que, segundo o Programa das Nações Unidas para o meio ambiente, pode
ter sido provocada por desequilíbrio ecológico.