Projetos de Extensão

Prof. Dra. Carla Vicente

Projeto: Plantão Psicológico na UFRRJ: Acolhimento e prevenção

O Plantão Psicológico se constitui em uma prática de atendimento imediato dirigida a escuta clínica dos diversos sentidos do sofrimento psíquico em situação emergencial ou eventual. Nele se oferece escuta e acolhimento às pessoas em momentos de crises, ao considerar que uma escuta de qualidade pode facilitar o enfrentamento das dificuldades surgidas e evitar estados confusionais. O serviço pode ser compreendido como uma atividade de promoção de Saúde, funcionando como um modo de prevenção primária. O atendimento do plantão psicológico ocorre nas abordagens existencialista e transdisciplinar e se destina a atender e acolher as pessoas que frequentam a UFRRJ ou os espaços públicos da cidade de Seropédica e estejam em situações emergenciais de sofrimento.

Projeto: Estar no Mundo: o Adolescente em foco

Núcleo de atendimento dos adolescentes, alunos do Colégio técnico da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro – CTUR, através de grupos psicoeducativos e psicoterápicos sob a perspectivas: Fenomenológica Existencial Humanista e da Clínica Transdisciplinar.

Projeto: Adaptação Acadêmica dos Estudantes da UFRRJ – HABITAR PSI

O projeto institucional “Habitar pSi” organiza e facilita grupos de vivência com alunos da UFRRJ, a fim de fornecer apoio psicológico à questões relacionadas com adaptação a vida universitária. Por se tratar de uma universidade distante do centro do município, recebe um grande número de alunos para residir tanto no alojamento próprio, como em republicas nos arredores. Assim, os jovens alunos, recém-saídos da casa parental, precisam amadurecer e enfrentar a arrojada tarefa de resolver o “luto” pela adolescência perdida, pelo afastamento de parentes e amigos antigos e tornar-se adultos, se organizando com os novos graus de liberdade acessados, enquanto assumem a responsabilidade por se profissionalizar. Considerando que muitos alunos adoecem nesse processo, o que é causa de sentimento inadequação ao curso e/ou á universidade, levando a evasão ou a demora em concluir a graduação, o projeto Habitar Psi oferece espaços semanais de compartilhamento e suporte, facilitados por acadêmicos de psicologia, com supervisão da coordenadora do projeto, sob a perspectiva teórica fenomenologia existencial humanista e a metodologia vivencial de grupos psicoeducativos. A proposta é atuar preventivamente ou quando o sentimento de angústia começa a ocorrer. O Aluno precisa aderir e frequentar ao grupo voluntariamente. Há possibilidades de inscrições on line a cada início de período. O projeto se desenvolve em oito sessões semanais e encaminhamentos são feitos aos serviços de psicologia quando é necessário.

 

Prof. Dra. Fernanda Canavêz

Projeto: Fora da casinha: ativação de redes, intervenção e formação em arte e cultura

O projeto de extensão objetiva articular atividades com alcance interinstitucional e intersetorial no Estado do Rio de Janeiro para a criação de uma rede de cooperação que envolva a intervenção e a formação em arte e cultura. As atividades extensionistas caracterizam-se por proporcionar a inserção universitária nas cidades em que as instituições estão localizadas, a saber : Rio de Janeiro, Campos dos Goytacazes e Seropédica.

 

Prof. Dra. Luciene Rocinholi

Projeto: Plantão Psicológico: Acolhimento e Prevenção

O Plantão Psicológico se constitui em uma prática de atendimento imediato dirigida a escuta clínica dos diversos sentidos do sofrimento psíquico em situação emergencial ou eventual. Nele se oferece escuta e acolhimento às pessoas em momentos de crises, ao considerar que uma escuta de qualidade pode facilitar o enfrentamento das dificuldades surgidas e evitar estados confusionais, estabelecidos por inúmeras situações. O plantão surgiu como uma prática da clínica contemporânea, que não visa substituir a psicoterapia, nem se trata de psicoterapia alternativa, breve ou triagem para outros serviços de encaminhamento. Embora receba o nome de plantão psicológico, não se destina ao atendimento de emergências psiquiátricas ou para pessoas em suicídio iminente, uma vez que algumas destas modalidades necessitam de equipes e atendimentos multidisciplinares de suporte. O serviço pode ser compreendido como uma atividade de promoção de Saúde, funcionando como um modo de prevenção primária. O atendimento na modalidade de plantão psicológico iniciou-se numa abordagem existencialista, entretanto pode ser realizado também na abordagem transdisciplinar. Desta maneira, os objetivos deste projeto estão divididos em pesquisa e extensão e pretendem: realizar e analisar a prática do plantão psicológico no atendimento e acolhimento as pessoas que frequentam a UFRRJ ou os espaços públicos da cidade de Seropédica, e estejam em situações emergenciais de sofrimento, e ainda possibilitar aos alunos do curso de Psicologia da UFRRJ a realização do plantão como prática psicológica nas abordagens Existencialista e Transdisciplinar. Poderá receber atendimento qualquer pessoa pertencente a Comunidade da UFRRJ (alunos, funcionários, professores e frequentadores esporádicos) e ou a população de Seropédica que procurar o serviço com demandas urgentes. O atendimento no plantão, seja individual ou para grupos, será realizado nos espaços sociais da Universidade (nas varandas dos institutos ou debaixo de árvores) e em praças públicas da cidade, utilizando cadeiras ou bancos. Os plantonistas serão alunos do curso de Psicologia da UFRRJ, a partir do terceiro período, cursando os Estágios Básicos ou Supervisionados da grade curricular obrigatória. Ao final do atendimento, fichas dos clientes serão preenchidas com os dados de idade, instituto e curso, para quantificação dos atendimentos e será solicitada a assinatura do Termo de consentimento livre e esclarecido. Será confeccionado um diário de bordo com o relato do atendimento para discussão, reflexão e análise das demandas dos indivíduos no enfrentamento da vida. Esperamos que a oferta do plantão psicológico alcance a proposta de promoção de saúde mental e viabilize a qualificação de alunos de graduação vinculados ao Curso de Psicologia da UFRRJ.

Projeto: Estar no mundo: O adolescente em foco

A adolescência é um período em que o jovem passa por inúmeras mudanças, que acontecem de modo rápido e breve. O adolescente precisa elaborar seu luto pela perda da infância, dos pais da infância e do corpo infantil, ao mesmo tempo que constrói sua identidade adulta, na qual a confrontação dos pais e das figuras de autoridade, os leva a se identificar com seus pares, que quase sempre estão na mesma situação confusa de identidade e por vezes até compondo estatísticas de risco e vulnerabilidade social. O processo de intervenção psicoeducativa e psicoterapêutica sobre a construção de identidade do adolescente realizada em grupo, permite a ampliação da consciência de si mesmo, capaz de auxiliar a conquistar atributos que favorecem o bem-estar e saúde mental para a entrada na vida adulta e o cumprimento de seu papel social como sujeito social, que faz escolhas de vida e ocupação. Neste sentido, o adolescente que tem a oportunidade de passar por um processo de intervenção durante os anos finais da adolescência, momento das decisivas escolhas para a consolidação da identidade, pode refletir e se informar melhor sobre as possibilidades para si, e assim escolher de maneira mais assertiva. Desta forma, o objetivo deste projeto será proporcionar a participação em trabalhos psicoeducativo e psicoterapêutico em grupo e/ou individual, aos alunos dos cursos do CTUR, bem como fornecer aos alunos de graduação em Psicologia a possibilidade de realizar atendimento grupal e individual, com a supervisão de um profissional competente. Para isso serão utilizados dois modos de intervenção coletiva e ainda intervenções individuais, caso se justifiquem. As intervenções psicoeducativas terão como foco inicial as escolhas profissionais e a elaboração de projetos de vida, integrados com a identidade do adolescente e com suas inclinações e decisões para o cotidiano e entrada na vida adulta. Elas ocorrerão em 8 sessões previamente definidas, nas quais haverão técnicas de dinâmica de grupo e desenvolvimento pessoal. Espera-se que os trabalhos psicoeducativo e psicoterapêutico em grupo e/ou individual favoreçam o bem-estar e a saúde dos adolescentes e lhes garantam formas individuais e proveitosas de estar no mundo, bem como viabilize a qualificação de alunos de graduação vinculados ao Curso de Psicologia da UFRRJ.

 

 

Prof. Dra. Rosane Braga Melo

Projeto: Oficinas de leitura e de escrita

O Projeto de Extensão Oficinas de leitura e de escrita tem por objetivo discutir formas de descrever e desenvolver as habilidades de leitura e de escrita junto aos professores dos anos iniciais da educação básica no Centro de Atenção Integral à Criança e ao Adolescente/CAIC Paulo Dacorso Filho, Convênio UFRRJ. O presente Projeto tem como proposta a formação continuada dos professores que trabalham com os anos iniciais da escolarização, a quem a prática de sala de aula afeta e é afetada pela aquisição do sistema convencional de escrita. O presente Projeto integra o Grupo de Pesquisa do CNPq ?O aprendizado da língua escrita e suas dificuldades?. As atividades realizadas nas Oficinas subsidiaram a proposta do Estágio Supervisionado em Psicologia Escolar e Educacional, e discussões mais ampliadas sobre o desenvolvimento das habilidades de leitura e de escrita para além dos anos iniciais do Ensino Fundamental.

 

Prof. Dra. Valéria Marques

Projeto: Atendimento psicopedagógico no Núcleo de Acessibilidade e Inclusão da UFRRJ Campus Seropédica

Atendimento à universitários com necessidades educacionais especiais.