Laboratórios e Grupos de Pesquisa

 

1)  CEDOC – Centro de Documentação.

Localizado no anexo III, campus Seropédica, disponibiliza materiais para a pesquisa histórica, com destaque para a documentação (textual, audiovisual e iconográfica) sobre a história da Baixada Fluminense e municípios adjacentes, incluindo registros paroquiais do século XIX da Cúria de Itaguaí, periódicos do século XIX digitalizados.

Objetivos: Reunir e disponibilizar materiais para a pesquisa histórica, vinculados aos projetos de pesquisa desenvolvidos pelo corpo de docentes da área de História da UFRRJ. Busca-se organizar um espaço de produção de memória social e guarda de documentação (textual, audiovisual e iconográfica) com ênfase na história da Baixada Fluminense e municípios adjacentes, com o intuito de fomentar novas investigações e iniciar os discentes no trabalho com fontes diversas. Procura-se estabelecer parcerias com arquivos privados e públicos com o intuito da digitalização de documentação e a preservação de acervos. Para tanto, através de editais públicos de Faperj e Capes foram adquiridos equipamentos de digitalização e leitores de microfilmes, instalados em sala própria, localizada no PPG, anexo III do ICHS, em Seropédica. Na consecução da política de acervo, realizou-se a digitalização de registros paroquiais do século XIX da Cúria de Itaguaí e, em uma pareceria com Biblioteca Nacional, foi  reproduzido em base de microfilme um conjunto significativo de periódicos das seções de obras raras e de periódicos daquela instituição. O centro está articulado às atividades do Programa de Educação Tutorial – PET-História, ao Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência- PIBID e aos Núcleos de Ensino, Pesquisa e Extensão (NEPEs), atividade acadêmica com carga horária obrigatória para os alunos da graduação. É, ainda, prevista a utilização pelos alunos da pós-graduação para pesquisa e atividades de estágio docente obrigatório que exijam utilização dos materiais disponíveis, que interessam, por exemplo, ao ensino da história local e regional. Além do acervo documental, o CEDOC possui três (3) leitoras de microfilmes, dois (2) computadores, uma (1) digitalizadora de microfilmes e uma (1) impressora formato A3.

Coordenação: Carlos Eduardo Coutinho da Costa (UFRRJ).

 

2)  CEDIM – Centro de Documentação e Imagem.

Localizado no Instituto Multidisciplinar, em Nova Iguaçu, disponibiliza materiais para a pesquisa histórica, com destaque para a documentação (textual, audiovisual e iconográfica) sobre a história da Baixada Fluminense e municípios adjacentes.

Coordenação: Jean Rodrigues Sales (UFRRJ).

Ver: http://r1.ufrrj.br/cedim/

 

3) GEAC – Grupo de Estudos sobre o Agro Contemporâneo.

Reúne pesquisadores do Brasil, Argentina, México, Canadá e Estados Unidos e se dedica a investigar diferentes dimensões da realidade agrária brasileira e latino-americana, com ênfase nas relações de poder e de exploração, nos conflitos sociais, nas formas de apropriação e uso social da terra e nos modos de articulação entre o rural e o urbano.

Objetivos: O Grupo de Estudos sobre o Agro Contemporâneo (GEAC) reúne pesquisadores e estudantes interessados em investigar processos sociais, políticos e econômicos que configuraram ou configuram o meio rural brasileiro e latino-americano, a partir de um diálogo interdisciplinar que dá ênfase às relações de poder e de exploração, aos conflitos sociais, às formas de apropriação e uso social da terra e aos modos de articulação entre o rural e o urbano. Linhas de pesquisa: 1. Desenvolvimento do capitalismo no campo brasileiro; 2. Estado, atores sociais e políticas de desenvolvimento para o meio rural no Brasil; 3. História social da propriedade da terra; 4. Organização social, ação coletiva e representação política dos trabalhadores rurais no Brasil e na América Latina; 5. Organização, ação e representação política do patronato rural e agroindustrial no Brasil; 6. Organizações internacionais e políticas públicas para o agro latino-americano; 7. Questão agrária e reforma agrária no Brasil e na América Latina

Líder: João Marcio Mendes Pereira (UFRRJ)

Pesquisadores: Clifford Andrew Welch (UNFESP); Edison Antônio de Souza (UNEMAT); Everton Lazzaretti Picolotto (UFSM); Marcio Antonio Both da Silva (Unioeste); Marcos Botton Piccin (UERJ); Paulo Roberto Raposo Alentejano (UERJ); Sergio Sauer (UnB); Vanderlei Vazelesk Ribeiro (UNIRIO); Henry Veltmeyer (Saint Mary’s University, Canadá); Luciano Concheiro Bórquez (Universidad Autónoma Metropolitana-Xochimilco); Luis Daniel Hocsman (Universidad Nacional de Córdoba); Darío Fajardo Montana (Universidad Externado de Colombia).

Ver: http://r1.ufrrj.br/geac/portal/

http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/0683863298530096

 

4) Grupo de Estudos Mundos do Trabalho e Abolição.

O grupo opera nas áreas de ensino, pesquisa e extensão. Seu principal objetivo é reunir graduandos, mestrandos e doutorandos para dividirem os resultados de suas pesquisas, proporem sugestões a problemas enfrentados no trabalho e ser um espaço para professores da Educação Básica retomarem o contato com a academia, melhorando suas aulas e/ou construindo projetos de inserção na pós-graduação. Seus membros desenvolvem uma plataforma digital para tornar os estudos sobre o Pós Abolição e os Mundos do Trabalho acessíveis a estudantes e docentes da Educação Básica e mais pessoas interessadas neste campo.

Líder: Álvaro Nascimento (UFRRJ)

Pesquisadores: Carlos Eduardo Coutinho da Costa (UFRRJ), Fernanda Oliveira da Silva (UFRGS); Alessandra Tavares Pessanha Barbosa (UFRRJ), Natália Batista Peçanha; (UFRRJ); Max Oliveira (UFRRJ); Ana Paula Cruz (UFRRJ); Aline Najara (UFRRJ); Karollen Silva (UFRRJ); Claudielle Pavão (UFRRJ).

dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/0806954748631612

https://www.facebook.com/mundosdotrabalhoeposabolicao.ufrrj.im/

 

5) HISTOR – Núcleo de Pesquisas sobre Teoria da História e História da Historiografia.

Histor

Site    Página no CNPq

Localização: ICHS – anexo II – sala 4

O grupo inclui pesquisadores interessados nas operações, práticas, procedimentos, pressupostos, paradigmas, conceitos, métodos e tópicos relacionados à construção do conhecimento histórico e às narrativas históricas no mundo antigo, moderno e contemporâneo.
Os projetos de pesquisa desenvolvidos pelos integrantes do grupo investigam a historicidade dos saberes e das narrativas históricas, a partir de dois eixos principais: 1) estudos do saber e das narrativas históricas, incluindo a problemática que envolve a constituição da história como disciplina, com base na investigação dos preceitos retórico-discursivos, dos fundamentos teóricos e dos princípios metodológicos nas práticas historiográficas; 2) estudos das práticas e virtudes epistêmicas nas quais se funda o ofício de historiador em seus variados lugares e contextos. O grupo abarca duas Linhas de pesquisa: 1. Teorias da história e história da historiografia; 2. Teorias da história: saberes e narrativas contemporâneas.

Líder: Maria da Glória de Oliveira (UFRRJ).

Pesquisadores: Adriana Barreto de Souza (UFRRJ), Alexander Martins Vianna (UFRRJ), Benito Bisso Schmidt (UFRGS), Douglas Attila Marcelino (UFMG), Durval Muniz Albuquerque Jr. (UFRN), Fábio Franzini (UNIFESP), Felipe Charbel Teixeira (UFRJ), Fábio Henrique Lopes (UFRRJ), Fernando Nicolazzi (UFRGS), Heliana Conde (UERJ), Henrique Estrada Rodrigues (PUC-Rio), Luzia Margareth Rago (Unicamp), Marilene Rosa (UERJ), Marcia de Almeida Gonçalves (UERJ), Nildo Avelino (UFPB), Pedro Spínola Pereira Caldas (UNIRIO), Rebeca Gontijo Teixeira (UFRRJ), Rodrigo Turin (UNIRIO), Temístocles Cezar (UFRGS).

http://r1.ufrrj.br/histor/

 

6)   História Social do Trabalho.

Objetivos: Destina-se a estreitar vínculos entre os componentes de um grupo de pesquisa que vem atuando em conjunto desde 1991, quando se formou reunindo cinco mestrandos do Programa de Pós-Graduação em História da Unicamp, todos com concentração de pesquisa em História Social do Trabalho. Depois das dissertações, vieram as teses de doutorado, sobreveio em seguida a docência e os atuais desafios do ensino e da pesquisa. Este grupo, pensado para dar visibilidade às atividades coletivas efetivadas ao longo dos anos e também para atualizar aspectos importantes dos percursos dos professores aqui reunidos, dispondo-os em uma rede, tem por vocação o debate, a formação de recursos humanos, a gestão de espaços institucionais de ensino, a docência e a pesquisa em História Social. Tem foco permanente na experiência da classe trabalhadora no Brasil mas mantém interfaces e realiza análises comparativas nos âmbitos da História Contemporânea Geral e da História Latino-Americana. Além do grande número de publicações (artigos, coletâneas, capítulos em coletâneas, livros, etc.), este grupo também está congregado, no âmbito editorial, na Comissão Editorial Coleção da História do Povo Brasileiro, cujos títulos reexaminam, com excelência de saber, episódios e processos marcantes de nossa História. O grupo dedica-se também à editoria de dossiês em periódicos científicos de História e à organização de coletâneas sobre temáticas relacionadas ao seu foco de estudos. Quanto à pós-graduação, o grupo atua em vários programas, o que o caracteriza como uma rede interinstitucional voltada à promoção da excelência na pesquisa e à formação de pesquisadores.

Coordenação: Alexandre Fortes (UFRRJ) e Antonio Luigi Negro (UFBA).

Pesquisadores: Alexandre Fortes (UFRRJ), Antonio Luigi Negro (UFBa), Fernando Teixeira da Silva (UNICAMP), Helio da Costa (Instituto Observatório Social), José Roberto Franco Reis (FIOCRUZ), Murilo Leal Pereira Neto (UNIFESP), Paulo Roberto Ribeiro Fontes (FGV).

 

7) Impérios Ibéricos no Antigo Regime: política, sociedade e cultura.

http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/9057435985388071

Objetivos:

As perspectivas de pesquisa ressaltam que os Impérios ibéricos, na forma de ser da sua administração, governação e vida social, reproduzem, no ultramar, as estruturas que dão forma e conteúdo ao Antigo Regime, vivenciado por essas monarquias, na Europa. Assim, ao considerarem as características essenciais dos países ibéricos nos tempos modernos, a pesquisa tem sinalizado para a natureza compósita da monarquia espanhola, e para a natureza pluricontinental da monarquia portuguesa, e suas ordens sinodais, corporativas e jurisdicionais, que deram dinâmica aos seus Antigos Regimes. Dessa forma, esse grupo de pesquisa propõe-se a discutir os elementos constitutivos e as formas de pensar o político nas monarquias ibéricas, e as singularidades de suas conquistas ultramarinas, enfatizando a natureza e tessitura das redes sócio-políticas e governativas, resgatando determinadas hierarquias e trajetórias sociais, que conferiam materialidade e governabilidade dos seus espaços ultramarinos.

Coordenação: Mônica da Silva Ribeiro.

Pesquisadores: Beatriz Carvalho dos Santos (FMU); Carmen Margarida Oliveira Alveal (UFRN); Fabiano Vilaça dos Santos (UERJ); Hugo André Flores Fernandes Araújo (UFRJ); Jose Carlos Vilardaga (UNIFESP); João Henrique Ferreira de Castro (Colégio Pedro II); Marilia Nogueira dos Santos (Fundação Cesgranrio); Nauk Maria de Jesus (UFGD); Rafael Ivan Chambouleyron (UFPA).

http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/9057435985388071

 

8)  LabQueer – Laboratório de Estudos das Relações de Gênero, Masculinidades e Transgêneros.

Link http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/0771192263280358

Objetivos:

Analisar como os gêneros são construídos, negociados e subvertidos. Focalizar as diversas relações (sociais, culturais, políticas, institucionais) entre os femininos e os masculinos, indagando como elas são historicamente forjadas.

Oferecer análises interdisciplinares em torno do gênero como categoria de análise, para além de sua dimensão performática.

Debater as implicações e desdobramentos do gênero na produção do conhecimento social, político e acadêmico.

Estudar  as masculinidades e as homossexualidades, destacando suas dimensões sociais, culturais e históricas.

Ampliar as noções e as experiências (sociais e históricas) das masculinidades e dos masculinos, para além daquelas organizadas pela heterossexualidade.

Positivar experiências de homens e mulheres transexuais e travestis.

Complexificar as relações entre sexualidade, identidades, orientações e gênero.

Estudar e investigar as chamadas sexualidades dissidentes.

Denunciar e analisar as históricas opressões, hostilidades, exclusões e violências  dirigidas às pessoas trans. Ao mesmo tempo, identificar, analisar e positivar as lutas, resistências, mobilizações e conquistas do movimento trans.

Líder: Fábio Henrique Lopes

Pesquisadores: Alessandra Rinaldi (UFRRJ); Clarice Cristine Ferreira Menezes (UFRRJ);  Érica de Aquino Paes (UFRRJ); Fabiane Popinigis (UFRRJ); Luciana Mendes Gandelman (UFRRJ); Luciane da Costa Moás (UFRRJ); Margareth de Almeida Gonçalve (UFRRJ); Maria da Glória de Oliveira (UFRRJ); Maria Luiza Oliveira; Rafael França Gonçalves dos Santos; Rebeca Gontijo Teixeira      (UFRRJ); Renata Rodrigues Brandão (Faculdade São Judas Tadeu);  Wendell dos Reis Veloso (UFRRJ).

Ver: http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/0771192263280358

 

 

9) LAMI – Laboratório de Mundos Ibéricos.

Objetivos: A proposta do Laboratório de Mundos Ibéricos (LAMI) é reunir professores, pesquisadores e estudantes interessados no debate historiográfico e na pesquisa documental relacionada à história da Península Ibérica, do medievo à Época Moderna. Nesta perspectiva, nosso objetivo é fomentar a discussão sobre aspectos culturais, sociais, políticos e econômicos relativos aos territórios da Península e seus domínios, desde o estabelecimento do reino visigodo, na Alta Idade Média, até a constituição dos reinos católicos da região e a expansão marítima, formação e desenvolvimento de seus impérios ultramarinos. O Laboratório tem por meta estimular a reflexão acerca da pesquisa e do ensino relacionado aos conteúdos referentes aos mundos ibéricos, bem como a produção de material científico e didático acerca dos mesmos. O LAMI objetiva ainda o estímulo ao diálogo interinstitucional e ao estabelecimento de intercâmbios científicos e pedagógicos na referida área de conhecimento. Linhas de pesquisa: 1. Cultura e Poder; 2. Cultura e Sociedade.

Líderes: Luciana Mendes Gandelman (UFRRJ) e Patricia Souza de Faria (UFRRJ).

Pesquisadores: Gláucia Montoro (UFRRJ), Luciana Mendes Gandelman (UFRRJ), Margareth de Almeida Gonçalves (UFRRJ), Patricia Souza de Faria (UFRRJ), Luís Guilherme Assis Kalil (UFRRJ), Yllan de Mattos (UFRRJ), Eliane Garcindo de Sá (UERJ), Rômulo Ehalt (Sophia University, Japão).

Ver: https://www.facebook.com/lamiufrrj

http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/5891029548541102

 

 

10)  LAPETHI – Laboratório de Pesquisas em Teoria da História e Interdisciplinaridades.

Desenvolve pesquisas na área de Teoria da História, e no campo de relações da História com outras áreas interdisciplinares – incluindo as diversas áreas artísticas de expressão, como o Cinema, a Música, a Literatura e as Artes Visuais. Inclui pesquisadores da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, da Universidade Federal do Rio de Janeiro, da Universidade Federal Fluminense, e também colaboradores estrangeiros (México e Israel), além da inclusão de discentes de diversos níveis de graduação e pós-graduação. O laboratório possui cinco linhas de pesquisa:

Cinema-História; História e Interdisciplinaridade; Teoria da História e Conceitos; Teoria da História e Experimentação; Teoria da História e Historiografia. O grupo desenvolve, a cada ano, um programa regular de Encontros entre seus participantes, Palestras e Cursos de Extensão oferecidos à comunidade acadêmica e a todos os interessados pelas suas temáticas.

Coordenação: José  Costa D’Asssunção (UFRRJ)

 

11)       LEHI – Laboratório de Economia e História.

LEHI

Objetivos: Formado em 2009, o Laboratório de Economia e História (Lehi), sediado na Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), reúne pesquisadores (mestres e doutores) e estudantes (graduandos, mestrandos e doutorandos) de diferentes instituições e perspectivas teóricas, dedicados a temas advindos do encontro entre a História e a Economia. O laboratório possui um perfil interdisciplinar e abrange estudos de História econômico-social e áreas afins, incorporando especialistas e os conhecimentos de diferentes áreas do saber, como História, Economia, Sociologia, Ciência Política, Relações Internacionais, Geografia, Antropologia e outras áreas das Humanidades. O grupo promove reuniões periódicas com discussões de pesquisa, eventos científicos e publicações acadêmicas.

Coordenação: Pedro Campos (UFRRJ) e Rafael Vaz da Motta Brandão (UERJ/FFP).

Pesquisadores: Almir Pita Freitas Filho (UFRJ), Cezar Honorato (UFF), Leonardo Leonidas de Brito (Colégio Pedro II), Mônica de Souza Martins (UFRRJ), Marcos José de Araújo Caldas (UFRRJ).

http://laboratorios.ufrrj.br/lehi/

http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/8590113194587265

 

12) LINHAS – Grupo de pesquisa sobre Idade Média, Medievalismos e Estudos Narrativos.

Link para o site: https://linhas-ufrrj.org/

Grupo de pesquisa vinculado à Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, formado por historiadores interessados em Idade Média, historiografia, estudos narrativos, religiosos e relações de poder.

Coordenador: Marcelo Santiago Berriel (UFRRJ)

Pesquisadores: Clínio Amaral (UFRRJ), Maria Eugênia Bertarelli (UNESA), Ronald Apolinário (UFRRJ), Renan Marques Birro (UFPE).

https://linhas-ufrrj.org/

 

13) Núcleo de Estudos sobre Capitalismo, Poder e Lutas Sociais (NECAP).

O trabalho do NECAP segue uma perspectiva histórica e interdisciplinar de pesquisa. Articula pesquisadores(as), estudantes e egressos(as) dos cursos de História e Relações Internacionais, abrindo-se à construção de redes de colaboração e parceria com pesquisadores(as) de outras instituições do Brasil e do exterior. O seu trabalho pretende repercutir nos seguintes âmbitos: 1) formação de recursos humanos para a pesquisa científica, tanto no nível da graduação como da pós-graduação; 2) organização de eventos acadêmicos para a socialização do conhecimento produzido pelos membros do grupo e por pesquisadores de sua rede de colaboradores externos; 3) realização de atividades de extensão articuladas à pesquisa, como seminários e cursos, voltados para estudantes de graduação e pós-graduação, profissionais da educação e sociedade em geral; 4) publicação científica com os resultados das pesquisas de seus membros e de colaboradores externos.

Líderes: João Márcio Mendes Pereira e Pedro Henrique Pedreira Campos (UFRRJ)

Pesquisadores: Alexandre Lourenço de Oliveira; Rafael de Paula Fernandes Mateus.

Estudantes: Ana Clara Guinelle Teixedo; Anaís Carvalho Pinto; André Filipe Castadeli Mesquita; Bruno Santos de Medeiros; Caroline Januário; Érika Toth Souza; Julio Cesar Pereira de Carvalho; Keven Silva Xavier; Leandro Mendes de Oliveira; Lorena Nazar Chaves; Marlon Rodrigues Marques; Max Fellipe Cezario Porphirio; Milena dos Santos Teixeira; Nathane Cruz Amaral; Pedro Paulo Cordeiro Chaves.

 

14) NEPHS – Núcleo de Estudos da Política e História Social.

Objetivos: O Núcleo de Estudos da Política e História Social da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (NEPHS-UFRRJ) foi gestado na intenção de incentivar investigações e aprofundar reflexões capazes de estabelecer pontes de comunicação entre dois campos de investigação historicamente constituídos de forma quase autônoma e, por vezes, em oposição: os da História Política e da História Social. A chave proposta para a realização desse movimento de aproximação é a ampliação do que entendemos por Política. Daí a adoção de uma outra nomenclatura – a de estudos da Política.

Apostamos no tratamento da Política como ação que procura legitimar e impor representações do mundo social, bem como práticas e projetos organizados a partir dessas representações. Isto abre a possibilidade de direcionarmos o olhar para processos sociais que envolvam desde conflitos e estabelecimento de fronteiras entre grupos até a produção de consenso tanto no espaço social mais amplo, como em instituições definidas e bem delimitadas. Busca-se, portanto, ultrapassar as limitações de considerar a política como circunscrita a uma esfera específica – a chamada “esfera da política”, que remete em geral à Política formalizada em partidos ou instituições que disputam o poder de Estado e os projetos globais para a sociedade, – para pensá-la de forma ampla.

Fundamentando essa aproximação entre os domínios da Política e do Social está um profícuo diálogo com a antropologia, que possibilitou novas formas de abordagem dos contextos e processos históricos. Da interpretação das evidências à análise dos sistemas simbólicos e significados sociais a cultura está no centro da cena, não como consenso, mas como arena de conflitos. Comprometida em enraizar socialmente os agentes históricos e dar sentido às suas práticas, esta perspectiva aposta na compreensão das experiências de homens e mulheres e das relações sociais, nos processos de formação de identidades coletivas e seu papel nas transformações históricas mais gerais.

Nesse sentido as formas de encenação pública das representações sociais, as práticas de cidadania e lutas por direitos, as disputas em torno da lei e os processos educativos em geral são parte disto que chamamos de ação política e de fenômenos políticos. Por fim, vale destacar que os processos de instituição e institucionalização de grupos sociais, de construção de identidades coletivas e de redes sociais, implicam em ações políticas ainda quando não buscam ocupar arenas tradicionalmente reservadas aos que disputam o poder de Estado.

Coordenação: Adriana Barreto e Fabiane Popinigis (UFRRJ).

Pesquisadores: Luís Edmundo de Souza Moraes (UFRRJ), Vânia Maria Lousada (UFRRJ), Ângela Moreira da Silva (CPDOC-FGV), Alexandre Fortes (UFRRJ), Álvaro do Nascimento (UFRRJ), Paulo Fontes (UFRJ), Caetana Damasceno (UFRRJ), Cristiana Schetini Pereira (Universidad Nacional de General San Martin, Argentina).

http://nephs.com.br

http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/0621133682067645

 

15) NUEP – Núcleo de Estudos da Política.

Constituído em 2006, promove reflexões e debates sobre objetos relacionados ao fenômeno da política.

Coordenação: Luís Edmundo de Moraes

Pesquisadores: Fábio Koifman (UFRRJ); Rui Antônio Rodrigues Afonso (UFRRJ).

 

16)       NUPEP – Núcleo de Pesquisa Propriedade e suas múltiplas dimensões.

Tem como objetivo o estudo, pesquisa e divulgação de aspectos pertinentes à discussão sobre a propriedade em suas variadas dimensões: a propriedade da terra, a propriedade intelectual – envolvendo suas várias modalidades -, a propriedade industrial, os direitos autorais, aspectos econômicos e da produção de conhecimento que envolvam o conceito de propriedade, aspectos relacionados também ao Patrimônio material e imaterial. Vários de seus membros são pesquisadores do INCT – Rede Proprietas, uma rede nacional de pesquisadores que pesquisa o tema da propriedade. Em 2016 o NUPEP foi contemplado com o Edital da FAPERJ para os Grupos Emergentes do Estado do Rio de Janeiro.

Líderes: Mônica de Souza Martins e Marina Monteiro Machado

http://nupeppesquisa.blogspot.com/

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Últimas Notícias

mais notícias