Chamada de artigos para Revista Estudos de Filosofia e Ensino

A Revista EFE: Estudos de Filosofia e Ensino torna pública a chamada para o envio de artigos para a edição temática: a filosofia e o medo da morte. Submissão de artigos até as 22h do dia 16 de novembro de 2020. As normas para a submissão de artigos estão disponíveis no link: https://revistas.cefet-rj.br/index.php/estudosdefilosofiaeensino/about/submissions

O medo da morte é mais antigo do que a filosofia e mobilizou, ao longo da história, múltiplas respostas de diferentes civilizações e culturas. A religião e sua crença na sobrevivência após a morte é uma delas e talvez a mais perene e bem-sucedida de todas. Por diferentes caminhos, desde que se constitui em forma de vida reconhecível, a filosofia tem abordado o assunto e elaborado respostas racionais ao problema da vida e da morte. Em todas essas tentativas, a filosofia assume, ousadamente, o desafio de encaminhar esse temor primitivo na direção de uma postura esclarecida e de uma vida emancipada de ilusões aprisionadoras. As respostas da filosofia seguem, em linhas gerais, as seguintes direções fundamentais: 1. O reconhecimento de que a consciência da morte é algo exclusivo ou mesmo definidor da humanidade do homem; 2. O medo da morte equivaleria a algum tipo de ignorância passível de ser superada; 3. O medo da morte seria incontornável e positivo, sendo capaz inclusive de propiciar o desenvolvimento de determinadas virtudes; 4. O medo da morte seria o fundamento da própria vida social e do Estado; 5. A superação do medo da morte, a assunção da morte, proporcionaria a alguns homens uma existência mais autêntica e livre; 6. A libertação definitiva do medo da morte seria a meta de uma humanidade emancipada ou em vias de emancipação. Ao longo de 10 encontros semanais, por via remota, o medo da morte foi abordado no curso de extensão promovido pela Escola de extensão da UFRRJ entre os meses de abril e julho deste ano. Foram lidos e estudados os seguintes filósofos: Platão, Aristóteles, Epicuro, Epicteto, Santo Agostinho, Pascal, Hobbes, Hegel, Nietzsche e Heidegger. Nesses encontros nos perguntamos: Seria possível e/ou desejável suprimir o medo da morte? De que modo o medo da morte nos constitui, positivamente, como seres humanos? Que relação pode ser estabelecida entre o medo da morte e determinadas virtudes ou vícios, como a coragem e a covardia? Há identidade entre medo da morte e os afetos de pavor e desespero? Qual a relação entre medo da morte e ação refletida? O medo da morte gera solidariedade ou acentua ainda mais a tendência humana para o egoísmo? É com alegria que convidamos a comunidade filosófica ao aprofundamento dessas e de outras questões pertinentes em torno do medo da morte e do ensino e do aprendizado filosóficos a ele relativos.

Agradecemos à EFE por ter abraçado a ideia desta edição temática. Estaremos recebendo artigos originais, na formatação exigida pela revista, até as 22h do dia 16 de novembro de 2020.

Editores responsáveis pelo número:

Francisco Moraes (UFRRJ)

Marcelo Guimarães (UNIRIO)

Bianca Vilhena (UNIRIO)