Apresentação

A implantação do Curso de Psicologia da UFRRJ representa a concretização de um projeto institucional que se inseriu no âmbito de um conjunto de perspectivas sobre o papel social da Universidade e a correspondente preocupação com um “ensino público, gratuito e de qualidade”, comprometido com o trinômio ensino-pesquisa-extensão.

Implantar este curso de graduação foi, por muito tempo, aspiração dos docentes do Departamento de Psicologia da UFRRJ. Ao longo dos anos, muitas foram as contribuições dos docentes desta área para a formação de professores (licenciaturas e pedagogia), além do trabalho coletivo para a implantação e consolidação do Programa de Pós-Graduação Lato-Sensu em Psicologia Educacional, representando um esforço considerável na formação de recursos para uma área com tão sérias necessidades nacionais. Contudo, nortear os esforços de atuação para a formação de novos psicólogos representava uma oportunidade de contribuir mais diretamente no direcionamento da profissão, estendendo o ensino público, gratuito e de qualidade à formação desse tipo de profissional, além da possibilidade de aumentar muito o potencial produtivo do Departamento, pela força da participação dos alunos da própria área e por seus efeitos multiplicativos.

A proposta do curso é a de oferecer uma formação básica, pluralista e sólida, concretizada através da oferta de atividades comprometidas com a análise de diferentes sistemas psicológicos, em termos da concepção de homem que sustenta seus principais conceitos, instrumentos de estudo, investigação e intervenção. Em consonância com uma visão moderna de educação, cuja ênfase recai no desenvolvimento de indivíduos capazes de resolver problemas, tomar decisões e “aprender a aprender”, o curso de Graduação em Psicologia da UFRRJ busca impulsionar a autonomia individual e a capacidade de criar, produzir e compartilhar, condições essenciais para o exercício da cidadania e para inserção responsável e comprometida no mundo do trabalho.

O “novo” e “de qualidade” no desempenho do psicólogo que se pretende formar estará nas relações que o profissional for capaz de estabelecer com seu ambiente, como cidadão e como profissional, no domínio do conhecimento dos fenômenos psicológicos, na sensibilidade e compromisso com a solução de problemas sociais significativos, na competência técnico-científica para gerar soluções como um estudioso crítico, capaz de examinar com critérios de relevância, rigor e ética a produção científica na área, e de produzir conhecimentos novos, com independência e originalidade, na competência para interagir e produzir em perspectivas multi-disciplinar e pluri-profissional, e também, no compromisso ético com a melhoria das condições da vida humana e com o desenvolvimento da Psicologia como ciência e profissão.

Esta análise deve oferecer condições para uma apreensão reflexiva da ampla gama de questões, tanto científicas quanto sociais, que envolvam a atuação do psicólogo. A reflexão sobre questões sociais se prende à necessidade de atuar frente a problemas em diferentes contextos, atenta às necessidades e aos direitos de cidadania e promoção de qualidade de vida dos indivíduos, grupos, organizações e comunidades. A integração destes conhecimentos, através do exercício da crítica, deve capacitar os estudantes para atuar com autonomia frente a novas questões encontradas, especialmente quando já no exercício da profissão, e evidenciar para estes a importância da busca de aprimoramento e capacitação contínua.

As novas possibilidades de inserção do psicólogo no mercado de trabalho exigem uma formação que o habilite a enfrentar com seriedade e competência uma diversidade de desafios. Assim, a formação básica e pluralista será acompanhada de uma formação generalista, que buscará ao longo de diferentes fases do curso evidenciar para o futuro profissional a importância da compreensão da atividade humana em suas interfaces com os fenômenos físicos, biológicos e sociais, ou seja, a importância de uma formação interdisciplinar e a preparação para uma atuação interprofissional.

A interdisciplinaridade não será contemplada apenas pela oferta de disciplinas introdutórias, mas norteará o curso todo, através do oferecimento de disciplinas e/ou estágios que integrarão os conteúdos de áreas afins e as diferentes formas de atuação inter e multiprofissional. Para superar a dicotomização teoria-prática, procurar-se-á enfatizar uma formação científica, crítica e reflexiva, pois a compreensão da construção e desenvolvimento do conhecimento científico em Psicologia é essencial para a habilitação do psicólogo buscando um atendimento adequado às demandas sociais. O contato com estas se dará através do envolvimento ativo do aluno com problemas vivenciados pela população e para os quais os referenciais teóricos da psicologia devem contribuir, através de análises contextualizadas dos mesmos e apresentação de possíveis intervenções almejando sua superação ou minimização.